Notícias

Governo federal terá que adequar formulários do CPF para incluir diversos gêneros

Por Por Agência Brasil
janeiro 30, 2024

A União foi condenada realizar a adequação de seus formulários relacionados ao cadastramento e retificação de CPFs de pessoas LGBTQIA+ no prazo de 180 dias. A medida visa a reconhecer a multiplicidade de arranjos familiares e de identidades de gênero, bem como a condição de intersexualidade. A decisão foi tomada em resposta a uma ação civil pública movida por entidades de defesa da diversidade sexual e de gênero.

No documento, o governo federal deverá substituir o campo “nome da mãe” pelo campo “filiação”; incluir as opções “não especificado”, “não binário” e “intersexo” no campo sexo; e garantir o direito de qualquer interessado em retificar esses dados.

A ação pretende adequar a atuação da Receita Federal a fim de cadastrar pessoas pela filiação, a exemplo de outros órgãos federais, em vez do atual cadastramento que se limita ao nome da mãe.

O processo também discorre sobre o respeito ao nome social, à identidade de gênero e à condição de intersexo, alegando que o órgão tem feito o cadastramento do CPF ainda calcado em uma lógica de uma ideologia de gênero heterocisnormativa.

Decisão

Na determinação, a juíza federal Anne Costa, de Curitiba, responsável pelo caso, lembrou o reconhecimento do Supremo Tribunal Federal da união homoafetiva como núcleo familiar. A magistrada destacou ainda que as adequações já foram feitas pela Polícia Federal e pelos cartórios, fatos que ressaltam a necessidade de adequação do CPF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale conosco

Rua José Pinto de Barros, Nº  26
 Centro
Palmeira dos índios - AL

E-mail: siteagresteagora@gmail.com

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram