Notícias

Príncipe Andrew, irmão do príncipe Charles, aparece em lista ligada ao traficante sexual Jeffrey Epstein

Por Redação
janeiro 4, 2024

Uma mulher que diz ter sido vítima do falecido traficante sexual Jeffrey Epstein afirmou que o príncipe britânico Andrew colocou a mão em seu seio na casa de Epstein em Manhattan, em 2001, de acordo com documentos judiciais de um processo civil divulgado nesta quarta-feira (3).

O caso, que foi relatado anteriormente e Andrew negou, está entre os detalhes revelados em uma série de documentos previamente editados.

Epstein socializou com pessoas importantes de Wall Street, da realeza e celebridades antes de se declarar culpado de solicitar prostituição a menor de idade em 2008. Ele se suicidou em 2019, aos 66 anos, enquanto aguardava julgamento por acusações federais de tráfico sexual.

Dezenas de mulheres acusaram Epstein de forçá-las a manter relações sexuais com ele e seus convidados em sua ilha particular no Caribe e nas casas que ele possuía em Nova York, Flórida e Novo México.

Os nomes de mais de 150 pessoas mencionadas em um processo movido por Virginia Giuffre, uma das principais acusadoras de Epstein, foram mantidos sob sigilo durante anos, até que uma juíza federal dos EUA decidiu no mês passado que não havia justificativa legal para mantê-los em segredo.

Em depoimento, Giuffre disse que fez sexo com vários políticos e líderes financeiros proeminentes, incluindo o empresário bilionário norte-americano Tom Pritzker.

Pritzker não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Ela não informou se era menor de idade na época ou se o sexo não foi consensual.

A acusação de Giuffre contra Pritzker parece não ter sido relatada anteriormente.

Em seu depoimento, ela também disse que fez sexo com outras figuras relevantes que anteriormente negaram suas acusações, incluindo o proprietário de um fundo de hedge Glenn Dubin, o ex-senador dos EUA George Mitchell e o ex-governador do Novo México Bill Richardson.

Em outro depoimento, Johanna Sjoberg, que também acusa Epstein, ressaltou que o príncipe Andrew colocou a mão no peito dela para posar para uma foto com o bilionário, Giuffre e Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Epstein.

Sjoberg ressaltou que a foto também incluía um boneco que dizia “Príncipe Andrew”.

Andrew perdeu a maioria de seus títulos reais devido à associação com Epstein. Ele fez um acordo em uma ação civil com Giuffre no ano passado por uma quantia não revelada e negou qualquer irregularidade. Não foi possível contato com ele para comentários.

A lista deriva de um processo de difamação que Giuffre moveu contra Maxwell.

Maxwell, filha do magnata da mídia britânico Robert Maxwell, cumpre pena de 20 anos de prisão por recrutar meninas menores de idade para Epstein. Ela está recorrendo de sua condenação.

Giuffre acusou Maxwell de recrutá-la quando ela era menor de idade para abuso de Epstein.

A juíza norte-americana Loretta Preska, que supervisiona o caso, decidiu que alguns nomes permaneceriam confidenciais, incluindo os de pessoas que eram menores de idade quando Epstein abusou delas.

Redação com CNN Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale conosco

Rua José Pinto de Barros, Nº  26
 Centro
Palmeira dos índios - AL

E-mail: siteagresteagora@gmail.com

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram